Dr. Eduardo Zampieri Montaldi – Cancer bucal

Câncer Bucal

O câncer no Brasil é um problema de saúde pública, encontra-se entre as duas primeiras causas de óbito na maioria das regiões do país. Seu perfil epidemiológico tem se alterado nos últimos anos projetando um aumento na taxa de mortalidade. Não existe câncer benigno, e sim câncer com maior ou menor grau de agressividade. Todo câncer á agressivo, destrutivo e para se saber o tipo do câncer é necessária biópsia e exame anatomopatológico, somente assim se tem o tipo histológico da neoplasia maligna, bem como seu grau de agressividade. O tipo histológico mais comum de câncer na boca é o carcinoma espinocelular (CEC), que representa entre 90% a 95% de todas as neoplasias malignas dessa região. A lesão do CEC é de origem epitelial, ou seja, do tecido que recobre as paredes da cavidade bucal (mucosas), portanto de fácil visualização. A lesão do CEC se apresenta como uma erosão ou úlcera, onde há perda de epitélio, a região fica avermelhada, esbranquiçada ou ambas as cores, que não desaparece em até 20 dias. A demora para o diagnóstico do câncer de boca dificulta o tratamento, deixando o prognóstico mais sombrio em função dos danos anatômicos e funcionais causados pela neoplasia maligna. Um grande progresso seria o diagnóstico precoce da neoplasia maligna de boca caso o público fosse educado no sentido de procurar o cirurgião dentista em intervalos razoavelmente freqüentes.

AUTO-EXAME: este exame deve tornar-se um hábito a ser realizado de três em três meses, principalmente no grupo de risco, que são pacientes com mais de 40 anos, tabagistas e etilistas, lembrando que o auto-exame não substitui o exame do cirurgião dentista.

O QUE PROCURAR? Feridas, casca de ferida nos lábios ou pele, aumentos, endurecimentos, caroços, bolinhas, inchaços, ínguas, alterações de cor, mancha escura, branca, vermelha, roxa ou marrom. Áreas doloridas, endurecidas, inchadas, sem sensibilidade, com formigamento ou sangramentos. Dentes quebrados, fraturados, com cárie, com mobilidade, tortos ou fora de posição.  Próteses mal adaptadas, machucando, desgastadas, antigas, sangue na saliva ou mau hálito. quando encontrar qualquer dessas alterações consulte um cirurgião dentista para melhor avaliação.

Dr. Eduardo Zampieri Moltaldi- Especialista em Periodontia (Gengiva)

Categoria: Vida Saudável.

Bookmark o permalink. Deixe um trackback: Trackback URL.