Ricardo e Karin de Aguiar – Cuidados com a Automedicação

Cuidados com a Automedicação

 A automedicação está cada vez mais presente no cotidiano da população, mas oferece risco se não houver informação.

Alguns critérios devem ser seguidos: só é indicada para situações que não requerem consultas médicas e sempre deve ser supervisionado e orientado pelo profissional farmacêutico.

Tem-se o hábito de ter em casa a famosa “farmacinha”, guardada em uma caixa vários medicamentos para as mais diversas finalidades, mas alguns cuidados como verificar a validade antes do uso; o local de armazenamento deve ser limpo, arejado, livre de luz e umidade e sempre na embalagem original para a conservação.

É interessante procurar o profissional farmacêutico para esclarecer o nome do medicamento, a finalidade e duração do tratamento, quando e como toma-lo, o que fazer se esquecer uma dose, quando há interações com álcool, quais efeitos colaterais e o que fazer se ocorrerem.

A cefaléia, famosa dor de cabeça, é uma das dores mais comuns entre outras. Nas opções de venda livre encontramos sempre associações com ácido acetilsalicílico, composto conhecido como Aspirina®, mas está em muitos outros medicamentos associados a outros compostos.

Há algumas precauções no seu uso, principalmente em doses mais altas.

 Não deve ser usado ou se for, com muita cautela em antecedentes de ulcera gastroduodenal ou hemorragias digestivas (incluindo doentes alcoólicos) e asma. E deve ser analisado o risco-benefício, mas tem contra-indicações absolutas: anemia, situações associados à retenção de líquidos, tais como função cardíaca comprometida ou hipertensão, gota, insuficiência renal ou hepática, gravidez, hemofilia, trombocitopenia.

Não se deve ingerir álcool durante o tratamento, pois aumenta a incidência e a gravidade de hemorragias gastrintestinais, sugerindo-se um intervalo de 8 a 10h entre estes.

Além disso, caso precise tomar antiácidos; deve-se aguardar pelo menos 1h.

 Karin de Aguiar – Farmacêutica-especialista em atenção farmacêutica

Ricardo de Aguiar

Categoria: Vida Saudável.

Bookmark o permalink. Deixe um trackback: Trackback URL.